A história de nossa empresa começa em um país muito distante do Brasil. A Síria.

Foi lá que nasceu e cresceu Rizkallah Jorge Tahan, o fundador da Casa da Bóia.

Rizkallah Jorge nasceu na cidade de Alepo, na Síria, em 1869. Era filho de um artesão que já lidava com a manipulação do cobre e com seu pai foi aprenden­do a arte de criar peças de decoração em cobre.

Com a morte de seu pai, Rizkallah Jorge assumiu os negó­cios da família, na Síria. Alguns anos depois, recém-casado e com os negócios não indo tão bem quanto ele esperava, tomou a decisão de viajar para a América.

Deixou a esposa na Síria, tomou um navio e desembarcou no Brasil em 1895.

Como não sabia falar o portu­guês e não queria trabalhar como mascate, como outros imigrantes árabes, empregou-se como faxineiro em uma loja que ven­dia metais, aqui mesmo na rua Florêncio de Abreu.

Três anos depois, em 1895, ele comprou a loja e fundou a “Rizkallah Jorge e Cia.” e come­çou a fabricar peças de decoração

em cobre. A empresa foi a primei­ra fundição de cobre de São Paulo e possivelmente do Brasil.

São Paulo, naquele período, estava se transformando de uma pequena cidade em um impor­tante centro urbano. As casas, na época, não contavam com sane­amento, não tinham água enca­nada nem esgoto, o que, entre outros problemas, trazia doenças, como a febre amarela.

Uma grande campanha para melhorar as condições de sane­amento da cidade motivou uma mudança no negócio da empresa.

Rizkallah Jorge passou a fabricar canos, conexões, sifões, torneiras e bóias de caixa d´água.

A empresa foi ficando conheci­da como a “casa que tem bóia”, a “casa das bóias” a “casa da bóia”… Esta referência foi ficando tão forte que a empresa, que a esta altura já tinha o nome de “Rizkallah Jorge e Filhos”, passou a adotar oficialmente o nome de “Casa da Bóia”.

Os filhos de Rizkallah Jorge, Jorge, Nagib e Salim começaram a trabalhar com o fundador e assu­miram a empresa após sua morte.

Como a Casa da Bóia sempre teve uma preocupação muito grande com a qualidade e o mercado exigia cada vez mais uma produção rápida e de custos menores, os herdeiros de Rizkallah Jorge tomaram a decisão de encerrar a fabricação e transfor­mar a Casa da Bóia em uma revendedora de materiais hidráulicos e de produ­tos de cobre, como tubos, chapas, fios, etc.

Com o passar dos anos os herdeiros do fundador foram vendendo a sua parte na empre­sa e atualmente Mário Roberto Rizkallah, que é neto do fundador, é o atual proprietário da Casa da Bóia.

O casarão sede da empresa foi construído no início do Séc. XX, em 1909. Ele tem arquitetura, em estilo “art-noveau”, e mostra belos detalhes em sua fachada, cons­truída em granito cinza claro, com arcos, colunas e balcões ricamente trabalhados, gradil de ferro fundi­do artesanalmente, vidros jate­ados, portas de madeira maciça, arabescos e imagens mitológicas.

Este sobrado, quando foi cons­truído, tinha três funções. Abriga­va a loja, no mesmo lugar da loja atual, tinha a fundição na parte de trás, onde está hoje o depósito e, no primeiro andar, abrigava a residência da família Rizkallah.

Com o tempo e a mudança da família para outra casa, os departamentos da empresa foram ocupando todas as salas da residência.

Em 1997 foi realizado o pri­meiro trabalho de restauro da fachada, quando arquitetos especializados desco­briram as características originais e restauraram a construção tal qual era no dia em que foi inaugurada.

Para a comemoração dos 100 anos da Casa da Bóia, em 1998, duas salas da antiga residência também foram restauradas e nelas foi instalado o “Museu Rizkallah Jorge”.

Cinco anos depois, mais duas salas foram restauradas e o museu ampliado.

Em razão desta preocupação constante com a preservação de sua história a Casa da Bóia foi e continua sendo uma referência da arquitetura e da memória do co­mércio de São Paulo, por isso não estranhe se en­contrar equipes de TV ou repór­teres de jornais, pesquisadores, estudantes de arquitetura e historiadores visitando, fazen­do matérias e pesquisando a história que pre­servamos com muito orgulho.

O logotipo da Casa da Bóia é a evolução dos logos desde a fundação da empresa.

Ele traz a mesma tipologia que foi usada na primeira versão do logo, quando a empresa passou a se chamar oficialmente Casa da Bóia e que remete à escrita árabe, origem de seu fundador.

Antes apenas em preto, o logotipo atual da Casa da Bóia reflete as cores dos principais metais que comercializa, o tom avermelhado do cobre, a tonalidade amarelada do latão e o marrom característico do bronze.

Missão

Comercializar e distribuir materiais para instalações hidráulicas, elétricas e domésticas e metais não ferrosos, no âmbito de sua atuação mercadológica, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas, tendo como princípios:

Respeito aos requisitos legais

Respeito aos colaboradores

Respeito aos clientes de qualquer porte ou localidade

Respeito à sua história

Visão

Manter-se uma organização auto-sustentável e entre as primeiras de seu segmento com desenvolvimento continuo e ético.

Política da Qualidade

A Casa da Bóia Comércio e Indústria de Metais Ltda, através de sua Direção e Colaboradores, assume o comprometimento:

  1. com os seus clientes, de continuamente aumentar sua satisfação e manter a sua fidelidade oferecendo serviços, produtos e consultoria técnica de qualidade por preços justos
  2. com a ética, norte de suas atividades e base de todas as suas decisões
  3. com a sua história, que orienta o seu presente e guia o seu futuro
  4. com o atendimento aos requisitos e melhoria continua de seu Sistema de Gestão da Qualidade, em conformidade com a NBR ISO 9001/2008

Nossos valores e condutas

A escolha dos valores e condutas de nossa empresa foi feita em feve­reiro de 2011. Em uma primeira etapa foi solicitado a todos os colabo­radores que expressassem valores importantes para cada um.

Foram criados então grupos de discussão para definir os valores comuns a todos e que mais representavam o pensamento geral.

Estes grupos de trabalho sintetizaram as colaborações e chegaram a um conjunto de valores que foram submetidos à votação em uma reunião geral, sendo então definidos os seguintes valores, acompa­nhados de uma conduta que os representam:

Respeito

“Ouvir para fortalecer relacionamentos”

União

“Realizar tarefas juntos, para resultados melhores”

Humildade

“Agradecer sempre e pedir ajuda quando necessário”

Honestidade

“Cumprir o prometido”

Comprometimento

“Ao começar procure terminar”

 

A Casa da Bóia atua nos mercados de comercialização de metais não ferrosos, que, como o nome diz, são as ligas metálicas que não tem ferro em sua composição, como o cobre, o latão, o bronze e o alumínio.

A empresa também comercializa uma ampla linha de soluções em hidráulica, que inclui tubos, conexões, válvulas, torneiras, chuveiros, duchas, aquecedores, hidrômetros, filtros e centenas de itens.

Laminados e Manufaturados

De uma forma geral, chamamos de “la­minados” os produtos que são comerciali­zados como matéria-prima: as chapas de latão, cobre e alumínio, os tubos destes materiais, barras, tarugos, enfim todo o material que nossos clientes compram para usar como base para fazer um outro produto.

Por exemplo, barras chatas de cobre são usadas para fazer painéis elétricos. Tubos flexíveis de cobre são muito usados na indústria de refrigeração, tarugos de bronze são utilizados para a fabricação de peças de máquinas.

Já os manufaturados são os produtos que as pessoas compram para o seu uso final, como um chuveiro, uma torneira, uma bóia, etc.

Atacado e varejo

A Casa da Bóia possui atendimento a todos o segmentos. Tem um departamento de vendas por telefone especializado em clientes que compram grandes quantidades e o atendimento de varejo, a nossa loja, que atende ao consumidor final, aquele que compra para seu uso próprio, para pequenas reformas ou até os profissionais de hidráulica e elétrica que vem comprar diretamente na loja.