A história de nossa empresa começa em um país muito distante do Brasil. A Síria.

Foi lá que nasceu e cresceu Rizkallah Jorge Tahan, o fundador da Casa da Bóia.

Rizkallah Jorge nasceu na cidade de Alepo, na Síria, em 1869. Era filho de um artesão que já lidava com a manipulação do cobre e com seu pai foi aprenden­do a arte de criar peças de decoração em cobre.

Com a morte de seu pai, Rizkallah Jorge assumiu os negó­cios da família, na Síria. Alguns anos depois, recém-casado e com os negócios não indo tão bem quanto ele esperava, tomou a decisão de viajar para a América.

Deixou a esposa na Síria, tomou um navio e desembarcou no Brasil em 1895.

Como não sabia falar o portu­guês e não queria trabalhar como mascate, como outros imigrantes árabes, empregou-se como faxineiro em uma loja que ven­dia metais, aqui mesmo na rua Florêncio de Abreu.

Três anos depois, em 1895, ele comprou a loja e fundou a “Rizkallah Jorge e Cia.” e come­çou a fabricar peças de decoração

em cobre. A empresa foi a primei­ra fundição de cobre de São Paulo e possivelmente do Brasil.

São Paulo, naquele período, estava se transformando de uma pequena cidade em um impor­tante centro urbano. As casas, na época, não contavam com sane­amento, não tinham água enca­nada nem esgoto, o que, entre outros problemas, trazia doenças, como a febre amarela.

Uma grande campanha para melhorar as condições de sane­amento da cidade motivou uma mudança no negócio da empresa.

Rizkallah Jorge passou a fabricar canos, conexões, sifões, torneiras e bóias de caixa d´água.

A empresa foi ficando conheci­da como a “casa que tem bóia”, a “casa das bóias” a “casa da bóia”… Esta referência foi ficando tão forte que a empresa, que a esta altura já tinha o nome de “Rizkallah Jorge e Filhos”, passou a adotar oficialmente o nome de “Casa da Bóia”.

Os filhos de Rizkallah Jorge, Jorge, Nagib e Salim começaram a trabalhar com o fundador e assu­miram a empresa após sua morte.

Como a Casa da Bóia sempre teve uma preocupação muito grande com a qualidade e o mercado exigia cada vez mais uma produção rápida e de custos menores, os herdeiros de Rizkallah Jorge tomaram a decisão de encerrar a fabricação e transfor­mar a Casa da Bóia em uma revendedora de materiais hidráulicos e de produ­tos de cobre, como tubos, chapas, fios, etc.

Com o passar dos anos os herdeiros do fundador foram vendendo a sua parte na empre­sa e atualmente Mário Roberto Rizkallah, que é neto do fundador, é o atual proprietário da Casa da Bóia.